Investimentos de pequenas empresas em sites aumentam faturamento e competitividade

May 27th 2008 07:28 pm



A Internet já chegou na fase adulta e mesmo assim menos de 80% das pequenas e médias empresas brasileiras têm um site institucional. Das que possuem, poucas mantêm sites realmente eficientes. “A maior parte é estática, desatualizada, rudimentar”, aponta o diretor da 2Pontos Web Experts, Vitor Hugo Perrone. Isso acontece até o momento em que o pequeno empresário entende que ter um espaço de credibilidade na Web permite ampliar não só a visibilidade da marca, mas também os negócios.

“Ser competitivo sem um bom site está cada vez mais difícil. Ter um site e não atualizá-lo também não funciona. É preciso alimentar a ferramenta”, aponta o web expert. Sites de pequenas empresas podem ter objetivos variados. “Pode ir desde a apresentação dos produtos ou serviços oferecidos e do contato com a organização, passando pela disponibilidade de um formulário de orçamento, até o comércio eletrônico propriamente dito”, explica Vitor Hugo Perrone.

Além disso, vários serviços podem agregar valor à marca da empresa. “Uma pousada, por exemplo, pode oferecer reservas online; um salão, agendar horário de atendimento; uma clínica, marcar consultas, enfim, são muitas as possibilidades”, diz. Atualizações Os especialistas, em geral, aconselham proprietários de pequenas empresas a nem estabelecer uma presença na Internet a menos que tenham tempo de mantê-la atualizada. Isso porque é fundamental que o site possua seções mantidas pelo próprio usuário ou pela empresa criadora do endereço eletrônico.

Segundo Perrone, “a manutenção feita pela 2Pontos é recomendada apenas quando a empresa-cliente não tem pessoal disponível para fazer as atualizações periódicas ou quando o conteúdo a ser acrescentado diariamente é muito grande ou, ainda, quando o site abriga diferentes peças publicitárias, como banners, e-mails marketing, floaters (animações publicitárias automáticas rápidas), que requerem um conhecimento técnico maior”. Perrone destaca que hoje em dia não faz sentido a obrigatoriedade de um contrato de manutenção, já que existe a opção do próprio usuário atualizar o conteúdo de seu site.

“Diante dos recursos disponíveis atualmente, não dá para ‘amarrar’ o cliente. Seja pelo usuário, seja pela empresa criadora do site, o importante é que ele seja atualizado constantemente. As pessoas querem ver novidades”, destaca Perrone. É por isso que os sites mais visitados são os que oferecem diariamente um número muito grande de conteúdo original, recente e exclusivo. E esta fórmula pode ser aplicada em escala reduzida também em outros sites menores presentes na web. ”A ação de renovar deve envolver, preferencialmente, a home page. Ao mesmo tempo, a empresa deve atualizar um certo número de páginas novas que deverão ser acessadas através de links presentes na página principal de seu site institucional”, explica Perrone.

Na hora de escolher o que entra ou não no site, vale a pena considerar a necessidade de cada seção e a evolução de cada ferramenta. “Ainda existem sites que utilizam a ferramenta pop up, que é ultrapassada tanto do ponto de vista tecnológico quanto publicitário, pois diversos bloqueadores atuais impedem que o internauta a visualize”, afirma o diretor da 2Pontos. O custo de criação de um site institucional costuma variar de R$ 3 a 5 mil. “Se o site pretende apresentar apenas o produto ou serviço com ferramentas mais simples como o “Fale conosco”, o preço é menor. À medida que se acrescentam opções como “tira-dúvidas”, os valores sobem. Para manter um site atualizado pela 2Pontos, o investimento vai de R$ 400 a 1500, mas pode ultrapassar R$ 2 mil de acordo com a demanda.



Posted by Arthur Grec under Web | No Comments »

Trackback URI | Comments RSS

Leave a Reply